OFICINA Não-Usual DE ESCRITA CRIATIVA Masculina SOBRE Mulheres

Como Resposta a muitos maravilhosos Homens, Criei.:
Palavras tantas e imensas que não ditas ~SÃO~ Efectivamente Sentidas.
Porque é que parece que nunca lhes chega? (…)
A Elas…Ela!
Mulher Bicho P-E-R-F-E-I-T-A, que mesmo Sendo-O parece nunca Sabe-lo…
Como Comunicar com o “incomunicável”?
Ela… Elas!
Oficina Dirigida a todos os homens que gostem de palavras e de Mulheres.

Programa
(A Oficina é constituida por 9 sessões, 2h30 a 3h cada.)
1ra Sessão – Contactar com a Fonte Criadora
2da Sessão – Libertar a Fonte Criadora; Sair da Estagnação.
3ra Sessão – Escrever Sem dogma; Purgar o Limite.
4ta Sessão – Compreender A Mulher
5ta Sessão – Os Grandes Homens, Platónicos.
6ta Sessão – Aceitar o in’Aceitável.
7ma Sessão – Disciplinar o “Dom Juan”
8va Sessão – Elevar o Bruto ao Supremo
9no – “Parir” como um’A Mulher.

Material
Cada participante deverá trazer roupa confortável e quente (incluindo Meias Grossas), Boa disposição, Mente não(muito)-Perversa-Aberta, Caneta&Caderno (folhas soltas no bolso não Obrigada*)

Sessão Individual: 30€
Sessão em Grupos de seis ou oito: 15€
Local: Sede Projecto da Terra
Horário: a começar dia 19 Outubro, 3ª feira às 20h30, durante 9 semanas

 

Cartas D’Amor & Perdão
O cheiro da borracha em forma de Flôr…
O lábio mordido,
No canto- Encanto…
Há quanto tempo não escreve uma carta d’Amor?
(Para o seu Mais-que-tudo, é bom,
Para si próprio ainda é* melhor…)
Venha conhecer a energia libertadora das Cartas D’Amor!
…e quando o amor é mal correspondido e se “mancha” de dor…?
Não! Isso Não é Outra História, é A história que necessita de Perdão….
Conheça os Milagres de Perdoar e Ser perdoado, a Paz de viver Livre de culpa*
Sessão Individual: 35€
Sessão em Casal: 45€
Duração: 2horas                                                                                                     Local: Sede Projecto Terra
Horário: Por marcação
—————————————————————–

Oficina Intensiva de Imagina&(S(er)ão)
Tem medo da “Crise”? (Crise = a MUDANÇA*)
Da Profecia dos Maias?
De Morrer afogado?
De ter Cancro no estômago-útero-peito-próstata?
O “Será que…” assombra-O?
Ânsiedade no peito…
Nó na garganta…
Costas côncavas, curvadas, torcidas, retraidas…
São apenas alguns dos sinais mais óbvios.
O medo é a Imaginação no seu estado mais que perfeito.
Sente-se Medo porque Se imagina que algo É possível e isso, na nossa mente, torna-se tão provável que nos retrai o corpo físico permanente’mente adoecendo-o e acabando poratrair o que tanto tememos…
Medo é energia!
Medo é Cria-acção;
Criação mal canalizada.
Porque não ter medo de coisas realmente importantes?
Porque não usar essa força como uma Força Potente e desbloqueadora?
Não tem Medo de já não saber Sorrir?
Não tem Medo de já não saber Sentir?
Medo de já não saber Largar?
Mudar!
Recriar!
Tudo isso é possível.
Vamos re-Inventar o nosso Mundo.
Aqui!
Ali.
Agora…
Se pensa que não é capaz ACEITE o desafio de dedicar um dia á Imagina&(São)
Sessão Individual: 35€
Sessão em Grupos de 4: 25€
Local: Sede Projecto Terra
Horário: Por marcação
Duração: Duas Horas
—————————————————————————

Oficina Intemporal de Escrita Criativa Feminina.


…Criar.
Cria.aR.
Mulher.
Ventre.
Arte-Filha.
Parir palavras como.
Vento.
Mulher.
LuaR.
Deixou de parar para sentir?
o que corre dentro das veias?
A alma grita ou sorri?
Junte-se a nós numa viagem única de palavras sem som, num corpo repleto de segredos e jardins belos; o nosso. Vamos recuperar o que nunca perdemos* A capacidade de.
Criar palavras…
Parir conceitos…
Nutrir histórias…
Mulher – Luar.
Escrita – Contada.

Programa:
(A Oficina é constituida por 9 sessões, 2h30 a 3h cada.)

1ra Sessão – Contactar com a Fonte Criadora
2da Sessão – Libertar a Fonte Criadora. Sair da Estagnação.
3ra Sessão – Escrever Sem dogma. Purgar o Limite.
4ta Sessão – Encontrar o Motivo/a Mensagem.
5ta Sessão – Construir o Arame/a Estrutura.
6ta Sessão – Estudar Personagens.
7ma Sessão – Disciplinar a Escrita
8va Sessão – Elevar o Bruto ao Supremo
9no – Parir a nossa Linguagem.


Material:
Cada participante deverá trazer roupa confortável e quente (incluindo Meias Grossas),
Um lápis ou caneta especial.
Um caderno BRANCO E IMACULADO.
Três cores á sua escolha e…se quiser, um portátil a partir da 5ta sessão.


Sessão Individual: 30€
Sessão em Grupos de seis ou oito: 15€
Local: Sede Projecto Terra
Horário: Segundas ás 20.00h, a começar a 18 de Outubro, sempre à 2ª feira
———————————————————————-

Apresentação da Facilitadora das Oficinas:
 
 
Eu, BÁRBARA Sou uma mulher Livre de dogmas, com princípios fortes que defendem a Liberdade Verdadeira (adj. Que fala verdade, verídico, autêntico, genuíno, real, exacto, certo, fiel, sincero, Leal) do Ser. Acredito na Criação que segundo o dicionário Lello Português significa: s.f. Acto ou efeito de Criar; Coisa Criada; Conjunto da Obra do Ser Supremo; Invento; Produção; Fundação; Formação; Produção; Intelectual de grande mérito; Interpretação de um papel dramático difícil; Boa educação…e que perante tantas definições boas para duas simples coisas se sente na necessidade extrema de investigar profundamente o que quer trabalhar na / da Criatividade Livre. Mergulho então em palavras como Criatura, Palavra dotada de uma simbologia esquecida. Criatura é, também no dicionário, s.f.de TODO o ser Criado; pessoa; indivíduo; inteiramente devota a outra. Penso então a Quem se devotou a minha Criatura. Eu, Bárbara, observo que há largos anos que me Entrego Única e exclusivamente á Obra (Divina) do auto-conhecimento ( Deus, Grande Espírito, Mãe Terra, Gaia, Jesus, Shiva, Ala, Buda… tudo e todos o que lhe quisermos chamar, tanto me faz, o propósito é sempre o mesmo, através da devoção ao Bem tornar o Ser-Criatura num Ser Maior ), entrego-me então e assim TOTAL e EXCLUSIVAMENTE ao meu auto-conhecimento e consequentemente á função de ajudar quem me procura e escolhe para se auto-conhecer e canalizar a libertação da sua Criação. Mergulho ainda mais profundamente nas palavras (pois para se saber O que se diz tem de se SABER profundamente O Que se diz….) PALAVRA (s.f. Som articulado com uma significação, vocábulo, termo, permissão de falar, afirmamento, doutrina, fala)… o “Dom” (s.m. dádiva, prenda, talento, dote natural) da Palavra… esse barro que me sustém e que me permite chegar a tanto lado quanto a minha mente e alma me suplica. Passar a Palavra…Súbitamente surge Crica á mistura, na minha mente… CRICA?… s.f. Vulva…. Amo a palavra Vulva. (s.f. Anat. O conjunto das partes genitais externas da mulher e de alguns animais) – Estranho, Será só isto..? Cedo aprendi que o que se conhece pela experiência alheia pode ser bom, no sentido que evita termos o trabalho de dar mil voltas para descobrir o que já foi descoberto (haverá coisa mais frustrante que trabalho em vão?), mas nada deve ser dado como Um facto totalmente adquirido, há que questionar e se a explicação “antiga-tradicional” por si só já não nos satisfazer é natural, humano e saudável procurar uma Nova Solução; fazê-lo é ser um bom pensador, Um bom CRIADOR , alguém que sabe discernir-Escolher… Fecho então os olhos e mergulho em mim, nos confins da alma, Soletrando a palavra em voz alta, “ V-U-L-V-A” parece tudo tão mais intenso e animalesco do que a descrição seca do dicionário. Quem o terá escrito? Um homem? Uma mulher Não-Criadora? Centro-me na terra… Lembro-me do movimento “cócoras” e agachada permaneço, parindo, uivando as minhas próprias Ideias. É por ai… Criar-Parindo – MULHER! Relembro mais e mais palavras entre palavras, uma sobressai, aquela que tanta gente usou/usa para descrever a essência do meu Ser.: Mulher-Vulcão* Recordo uma história antiga (porque ando sempre de mãos dadas com o Passado-o Presente e o dito do Futuro que não é nada mais do que a Projecção-Consequência do que plantámos nos anteriores dois estados de Tempo e sei, SEI, que com três anos apenas descrevi esta mesma palavra Vulcão assim: “ É uma borbulha que quando irritada explode e lança pus”. Vulcão, segundo o dicionário é s.m. de Montanha de onde, por uma abertura chamada cratera, saem matérias candentes, fogo ou só fumo. Figurativamente é Abrasamento, Grande incêndio, Imaginação ardente, Génio Impetuoso ( confesso que adoro esta parte…), perigo eminente para a ordem social…..ups…quererei Eu Ser assim? Um perigo Vulcânico*? Investigo a palavra “Ordem” (s.f. Disposição conveniente. Conserto, arranjo. Acto de indicar com autoridade de que modo se devem fazer ou dispor as coisas) pois se Eu acredito em Liberdade de Escolha de Ser como posso acreditar numa Ordem que a todos serve? Somos diferentes certo? “Todos Diferentes, Todos iguais” (na diferença imagino) ora resta-me então saber o que significa Verdadeiramente LIBERDADE,  s.f. Direito de Proceder conforme nos pareça, contanto que esse direito Não vá Contra o direito de Outrem)…UFA! Parece-me então PERFEITO ser chamada de “Mulher-Vulcão”, a Bárbara. Agarro-me então ao Amor, não sei porquê, é um género de um “vício” talvez porque esse (o dito do amor) é o único ingrediente essencial para qualquer Bom trabalho da Alma (Amor…O Amor é das poucas palavra cuja descrição no dicionário me parece tremenda, está descrito como Paixão, Reter, Guardar, “afeição ilimitada que até torna doce o amargor do sacrifício que reclama”…que horror, não? Pois que o meu simples mas fogoso Eu Acredita que o Amor é algo que se Sente embasbacado, de coração aberto e a transbordar de alegria e satisfação e não o que se descreve ali como algo duro e aliado ao sacrifício, assim sendo, porque a pesquisa é o que faz de uma mera teoria Uma Teoria, a única frase que me apeteceu trazer para a minha sequência de pensamentos é uma famosa, da Bíblia, que diz “Ama o próximo como te amas a ti mesmo*” Altruísmo Total? Talvez. A minha missão? Um desejo, Sem dúvida. Serei capaz de concretiza-lo? Só tentando o saberei…Sei que esta frase esconde uma coisa ESSENCIAL… “Como te amas a ti próprio*” e quem não se ama?!….isso sim! Já é algo que estou certa que conseguirei ajudar no entender dos estranhos porquês para a falta de.
Mulher-Falcão – auto Intitulo-me.
Mulher – Coruja – auto Reconheço-me.
Já não sei quem sou, porque me desfiz em mil pedaços, mas conheço um segredo simples… posso garantir que é depois do Caos que chega o Vazio e só depois nos podemos encher de NOVO e MELHOR. Não dá para “saltar” processos…Não dá para tapar os lixos…mas DÁ para LIMPAR* fixe, não?
O belo do assustador fogo-Vulcânico transmuta o velho, o sujo e o mal. Sabia que depois de uma erupção vulcânica toda a Terra (terra – terra) banhada pela CINZA da lava fica duplamente mais fértil? Os antigos sentimentos também são assim, depois de queimados servem para fertilizar a terra que vai suster a Alminha Nova, onde nascerá a Criação do Todo. 
Criar! Essa é a minha Função* Criar seja o que for, ajudar a Criar o Seu sonho, o Meu sonho, o Sonho*! Nenhum filho-irmão é igual ao outro, nem mesmo um filho-gémeo. Tudo na Natureza É único. Ponto.
Complicado? Experimente o sentimento em vez da descrição, procure e encontre em si a Mulher/Homem Vulcão, a Mulher/Homem Criadora. Faça desta experiência um dos fachos de Luz na noite escura porque quanto mais e melhor nos sentimos em nós, mais e melhor sabemos Criar-Parir-Mudar-Aceitar a “Verdade” (se é que existe tal cousa como “Uma-Única Verdade”….), que temos de TUDO para TUDO correr Bem.
E os erros? – Tantos perguntam assustados… os Erros?
” Errar É Humano” e nós somos, AINDA, humanos.
Experimentar é o caminho.
Conclusão.:
Eu, Bárbara Rodhner Sou uma Linda Criatura que trabalha a Liberdade da Criação e que ajuda quem está estagnado dentro da sua zona de conforto*
 
Eu abano a “barraca” , você constroi o Palácio.
 
Parece-lhe bem? Contacte-me.
 
Bárbara Jordão & Bárbara Rodhner
         A mesma, a Outra
     www.barbararodhner.com
          Artista Sem Pincel

 

Workshop Hans Christian Andersen   

A arte de contar estórias

Toda a arte de contar histórias transporta nos contadores e/ou autores/narradores várias sensibilidades e experiências – um legado histórico-sócio-cultural – um fantástico contributo pedagógico na valorização da comunicação e narração oral; uma das essências das raízes da sabedoria popular e do património cultural imaterial.

O workshop propõe-se a partir de contos do autor nórdico, Hans Christian Andersen, essenciais para os contadores de estórias conhecerem, trabalhar de forma colectiva, dinâmica, prática e lúdica, utilizando o instrumento mais importante do contador – o corpo – e a sua característica voz. A proposta deste workshop/Oficina é, também dar “maisvalias”, a quem já gosta de ouvir e deseja saber contar. As “maisvalias” caracteriza-se por “saber-fazer” a animação do Livro e a Leitura, conhecer várias estórias do autor mais importante da literatura infantil do séc. XIX, criar/adaptar e contar estórias com fluência, luz e magia. Em suma, compreender que a própria História é uma grande narrativa em contínua construção e divulgar este valioso património cultural imaterial da humanidade.

Inicio: 07 de Abril

Dias: 7, 14, 21 e 28 Abril 2010  (Quarta-feira)

Horário: 20.30h a 23.00h 

Duração: 12 horas

                10h teóricas/práticas e 2h (exercício final) com público

Custo: 65,00 €

 

Dia aberto ao público: 02 de Maio – Domingo

Local: Casa das Cenas – Educação pela Arte

           Atelier Mª Almira Medina,

           Rua Gil Vicente, nº 5, Sintra (Vila Velha)

 

Autor/ dinamizador do Workshop/Oficina: Jozé Sabugo

Parceria: Casa das Cenas – Educação pela Arte.

Suporte de divulgação: www.horadoconto.com  e www.projectoterra.com

Organização: Projecto Terra Una

 

Inscrições/informações: projectoterra.geral@gmail.com

Nota:  1.  A Oficina só realizar-se-á com o mínimo de 7 pessoas

           2. O Certificado de Conclusão – entregue no dia aberto ao público

           3. Possibilidade de fazerem parte da bolsa de Contadores da Hora.